sábado, 8 de maio de 2010

1 ANO E 1 MÊS - CAMINHANDO

No exato dia em que estava completando 1 ano e 1 mês de vida a Vitória saiu caminhando sozinha. Já fazia algum bom tempo que ela ensaiava os passos segurando nossas mãos ou nos móveis e paredes das casas. Ela já conseguia se equilibrar entre dois ou três passos entre um móvel e outro, mas no dia 21/04/10 ela se soltou do sofá e foi embora corredor a fora. É o andar mais engraçado e estiloso de todos. E complicado. Não é fácil a maneira como ela utiliza todos os membros do corpo pra conseguir o equilíbrio. Até o cabelo influencia. Se tiver mais repartido para um lado, lá vai a Vitória pendendo pra direita... É. Mais uma fase que estamos ultrapassando no crescimento. Os dias passam...
video

terça-feira, 30 de março de 2010

1 ANO!!!






No dia 21 recém passado a Vitória completou 1 ano de vida. Parece que faz mais tempo que eu deixei de ser dono do meu nariz. Eu que nunca planejei nada, agora tenho que ter plano até pra ir na esquina.
Faz 1 ano que a Vitória nasceu e cada um desses 365 dias serviram pra confirmar a decisão que tomamos de ter um filho, serviram pra aprendermos a ver a felicidade em pequenas coisas, como numa noite inteira de sono!!! Brincadeira.
Não troco nada por esse ano em que a Vitória cresceu de forma normal, não apresentou nenhum contratempo, nenhum problema que nos fizesse preocupar, além, é claro, da manha com a mãe dela, em especial.
Tenho muito orgulho de ver que nesse ano criamos uma criança feliz, alegre e sorridente, curiosa, ágil e agitada, esperta, desenvolta e linda, muito linda.
Ela já está ensaiando os primeiros passos, ainda com a necessidade de uma ajuda, mas cada vez mais firmes e numerosos.
Ainda não falou nenhuma palavra, embora já cante a música de um porquinho de pelúcia que ela ganhou da Dinda (não sei o nome da música, mas o Ovelha gravou uma versão em português - ououeieee).
Nesse ano, a Vitória passou dos seus 43cm para 74cm; dos seus 2.180kg para 9kg. Suas feições estão mudando rapidamente, perdendo aquela cara de bebê para ganhar uma carinha de criança.
E a cada dia que passa, estou tendo que aprender a lidar com esse crescimento, a ver diminuir a dependência dela com a gente. E isso faz crescer um medo do nada, das notícias que vemos, ouvimos e lemos nos jornais, da loucura de nosso mundo.
Mas não é disso que quero falar, aliás, nem quero falar de mais nada.
Quero só dizer que nada podia ser melhor na minha vida do que a Vitória; que naqueles momentos em que bate o cansaço, só o sorriso dela é que me dá mais fôlego pra levantar e brincar, pra voltar a ser criança, pra ser muito mais feliz!!!








segunda-feira, 1 de março de 2010





“Algum tempo sem escrever muito por causa das férias tiradas no final de ano. Fomos para a praia.
Mas primeiro, tenho que relatar o primeiro natal da Vitória, passado em família, em que ela, por certo, foi o centro das atenções e ganhou muitos presentes, em especial, um buggy, presente do dindo, e com o qual ela já anda aterrorizando pelas calçadas do bairro.
Depois do natal saímos para duas semanas na praia incluindo aí o reveillon.
A primeira semana foi difícil. A Vitória estranhou a movimentação da casa, com um número bem maior de pessoas do que aqui, e só se acalmava com a Laura.
Na segunda semana, com o esvaziamento da casa, a situação melhorou muito, a Vitória ficou bem mais calma, já aceitava ficaR comigo, brincando, longe da mãe.
Ela gostou muito de brincar na praia, engatinhar na areia e entrar mar à dentro. Passou a brincar com pazinha, baldinho, etc. Tiramos belas fotos da pequena.
Nas férias fiquei treinando alguns truques com a Vitória e ela aprendeu a abanar, o famoso tchauzinho; aprendeu o “me esqueci”, que nada mais é do que levar uma das mãos até a cabeça quando ela ouve essa expressão.
Quando voltamos para Porto Alegre ela começou a bater palmas, coisa que a Laura vinha insistindo fazia tempo.
Agora, quando ela fica faceira, repete essas 3 coisas nitidamente para nos agradar.
Mas a principal mudança é na alimentação. A Vitória está liberada para comer de tudo desde o mês passado, mas o que não esperávamos é que ela realmente fosse comer de tudo.
A guria é uma verdadeira draga. Sequer podemos comer na frente dela, pois ela começa a resmungar pedindo um pedaço.
Ela come arroz, carne, feijão, legumes, bolacha, sorvete, frutas (adora limão), enfim, tudo o que oferecemos, ela manda. E dá risada e bate palmas...
Nos últimos dias a Vitória vem apresentando certa dificuldade em dormir. Hoje, acredito que ela sequer tenha fechado 8 horas de sono, contando o dia todo, o que para uma criança é muito pouco.
Amanhã temos consulta com a pediatra e vamos perguntar se pode influenciar de alguma forma no crescimento dormir tão pouco.
Fora isso, tudo anda muito bem e a Tóia está cada dia mais linda (e olha que não sou eu que digo).”
Esse relato eu escrevi no dia 20 de janeiro e sei lá por qual motivo não postei no blog. Na verdade, ando meio preguiçoso e o tempo que estou em casa é praticamente todo pra Vitória.
Faz mais ou menos uma semana que a Vitória me deu os primeiros beijos espontâneos. Estávamos sentados no chão brincando, ela engatinhou até meu colo e me deu um beijo – que consiste numa lambida bem babada na bochecha – e repetiu por mais 4 vezes.
Fiquei muito besta (bem mais do que o normal).
Essas atitudes de carinho estão aumentando. Todo dia ela demonstra mais amor por nós dois e isso é realmente gratificante.
Hoje mesmo quando eu cheguei em casa do trabalho, ela estava em pé, apoiada no sofá e me olhou deu uma risada e veio engatinhando até mim. Não tem preço.
Daqui a 20 dias a Vitória estará completando 1 ano. Vamos fazer uma festinha pra ela, sendo que é um momento bem mais de exibicionismo dos pais do que de farra da criança.
E podem ter certeza que gosto muito de me exibir com a minha filha linda.
Nesse sábado que passou a Vitória foi numa festinha de aniversário. Um ano do Miguel, vizinho aqui da rua. Levamos a “Tóia” que ficou na festa com a Cleusa, a babá. Voltamos para pegá-las depois das 19 horas. Pois é! Não tem nem 1 ano e já estou indo busca nas festinhas de noite.
Não me lembro se já escrevi sobre isso, acho que não. Mesmo assim agora esse sentimento é bem mais forte.
Algumas coisas eu sempre achei que usaria na criação de meus filhos, coisas que a gente houve os pais, avós contarem e que serviu pra fulano e ciclano.
E tentei botar em prática com a Vitória. Descobri que ela não é nem o fulano muito menos o ciclano. Descobri que não existe fórmula, que não existe verdade absoluta.
Algumas coisas, como pais, devemos planejar e tentar incutir nos filhos, mas a forma como vamos ter que fazer isso é uma grande incógnita. Estamos escrevendo uma história em que o personagem tem vida e vontade própria.
Várias vezes temos ouvido, desde pessoas conhecidas até outras que nunca vimos antes, comentários sobre a felicidade que a Vitória passa.
E acredito que ela realmente seja feliz. Pelo menos nos esforçamos pra isso.
Sempre temos um sorriso pra ela, porque quem recebe um sorriso, responde com um sorriso. Procuramos dar o máximo de carinho possível e, podem ter certeza, essa é a parte mais fácil. Nada melhor do que beijar aquelas bochechas.
Mas já não mais me atrevo a dizer que quando a Vitória tiver 3 anos vou fazer isso, quando fizer 5 aquilo e quando tiver 14 vai ser assim.
Descobri que não dá certo. Descobri que para ter respeito, vamos ter que respeitar a maneira dela.
Mas isso não significa que ela vá fazer tudo que quiser. Isso quer dizer que teremos que encontrar a melhor maneira de passar educação, princípios e valores para a Vitória.
E não tem como dar errado, pois ela está nos fazendo pessoas melhores e que, assim, melhor vão poder contribuir para o crescimento dela.



sábado, 12 de dezembro de 2009

BATISMO


Vários acontecimentos nos últimos dias. Primeiro, sábado retrasado a Vitória engatinhou pela primeira vez. Ta, tudo bem, essa já era “velha”. Mas é que ela vem aperfeiçoando a técnica diariamente.
Segundo, estão nascendo os dois primeiros dentinhos. Ela não nos deixa ver; coloca a língua na frente e chora quando tentamos forçar. Mas passando o dedo podemos sentir perfeitamente a serrinha.
Nos últimos dias, também passamos a dar outros tipos de comida para a Vitória. Ela experimentou seu primeiro pedacinho de carne, comeu cenoura cozida e arroz integral. Tudo bem pouquinho,me pedaços pequenos, que ela adorou.
Por fim, domingo foi o dia do batizado da Vitória que, agora, passa a fazer parte dos filhos de Deus. Pois é, não sabia, aprendi no cursinho pré batizado que quando nascemos somos criaturas de Deus e somente passamos a ser filhos depois do batizado. Claro que essa é a doutrina da Igreja Católica, mas, mal ou bem, ainda é a que seguimos. Também não sou bobo de querer discutir religião.
Nem futebol, pois sou Flamengo desde criancinha.
A Vitória se portou extremamente bem tanto no sábado – curso do batizado – quanto no domingo, no próprio batizado. Não chorou, não reinou, nada. E gostou bastante da hora de receber a água do batismo.
Estava muito linda no seu vestidinho branco e sandálias.

sábado, 28 de novembro de 2009

8 MESES




Em ritmo de fórmula 1. Já se foram 8 meses de muitas emoções, choros e descobertas.
Sem dúvida alguma, a primeira descoberta é a do amor incondicional por alguém que acabamos de ver (ainda vamos nos conhecer) e de que a sensação da hora do parto é única e incomunicável.
Depois, a gente descobre como é boa uma noite inteira de sono. Umas 6 horas ininterruptas que fosse. Mas isso é passado.
Hoje, acho que não tem nada que eu aprecie mais do que voltar pra casa no fim do dia. Isso pelo simples fato de que, logo que abro a porta, lá está a Vitória que me olha e abre um largo sorrio, franzindo o narizinho.
Com certeza cuidar de um filho não é fácil, mas essas coisas fazem tudo valer à pena.
Nossos primeiros 3 meses foram bem difíceis, principalmente pela Vitória sofrer muito com as cólicas. Com o tempo, os problemas mudam. Hoje, por exemplo, ela está apegada demais com a Laura, chorando quando não está no colo dela, mesmo quando está no meu.
Aliás, colo ela só aceita o da Laura, o meu e o da babá. Com as outras pessoas ela abre o berreiro.
Mas o interessante dessa relação é que o mais difícil também é o mais legal. Explico: ontem a Vitória conseguiu dar seus primeiros movimentos de engatinhar. Já faz tempo que ela se arrasta e gira e se atira para os lados.
Todo esse movimento demanda muito mais atenção de nossa parte. Também acarreta choro pelo fato de, com o domínio do movimento, aparecer vontades que nem sempre podemos permitir (quase nunca na verdade, pois ela tem verdadeira adoração por se atirar de cima da cama).
Por outro lado, é sensacional ver a alegria dela com a possibilidade de se movimentar, de ir atrás dos brinquedos.
Hoje mesmo fiz quase uma passarela com o tapete de borracha para ela ficar engatinhando. Colocávamos um brinquedo na ponta e lá ia ela, aos trancos e barrancos, sorrindo, gritando até seu objetivo. Quando ela chegava, passávamos o brinquedo para o outro lado. Não considero isso nenhum tipo de tortura, só dois pais bobões vendo sua filha crescer.
E se tem pai bobo nesse mundo sou eu. Por vezes, na verdade sempre, quando me dou conta estou andando com ela no colo, sorrindo e olhando pra todo mundo pra ver se estão apreciando a minha pequena. Exibimento mesmo, puro orgulho.
Uma coisa que não muda desde os 2 meses é o jeito de fazer ela dormir durante o dia: a Laura bota um cd da Xuxa e fica dançando com ela na frente do espelho. Umas 3 ou 4 músicas são suficientes, via de regra (por vezes nem a coleção inteira).
Por falar nas músicas, em uma que é sobre o Praga, um antigo personagem do Xou da Xuxa. Na música a Xuxa quer se livrar de qualquer jeito da figura e xingam o coitado e ninguém o quer. Nunca tinha parado pra escutar essa música e, confesso, fiquei meio traumatizado.
E olha que tenho um bom retrospecto em letras de músicas, digamos, nada politicamente corretas. Os fãs da The Osmar Band que o digam.
Mas a próxima novidade é levar a Vitória para o clube para tomar banho de piscina. Ia ser hoje, mas outro temporal frustrou nossos planos.
Taí outra história...

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

6 MESES E UM POUCO MAIS

,
















6 meses já se foram. Em verdade, estamos quase no sétimo e inúmeras são as novidades. Aliás, só isso que é não é mais novidade! As etapas de desenvolvimento fazem com que diariamente as novidades aconteçam.
Como já faz algum tempo que não escrevo, tenho até dificuldade de lembrar de todas as novidades, mas a maior dificuldade é por que a Vitória está sentada aqui ao meu lado no sofá e quer por que quer mexer no computador.
Pois é, ela já fica sentada, com postura e sozinha. Temos que ficar sempre de olho por que ela se atira pra pegar as coisas e, em geral, a cabeça vai na frente.
Ainda não sofremos nenhum acidente, graças a Deus!
Já entramos na fase das frutas, também. A Vitória começou tomando suco de laranja do céu pela manhã, acrescentamos uma semana depois banana amassada de tarde e, depois, purê de maçã e mamão também amassado.
Agora, ela está tomando suco de laranja do céu com cenoura. E manda tudo com muita vontade, sempre mantendo o leitinho no restante do dia, de duas em duas horas.
Já faz mais de mês que lutamos contra uma alergia ou fungo ou sei lá o quê que acometeu a Vitória em torno da boca e do pescoço, deixando a pele avermelhada e marcada.
Já fomos em duas dermatologistas e estamos aguardando o resultado do exame micológico e que consiste na raspagem da pele machucada.
Nos últimos dias está havendo uma melhora substancial na pele da guria com o tratamento que estamos fazendo com pomada, talco, banhos de permanganato de potássio e aveia.
Daqui mais uns dias, vamos fazer nossa primeira viagem com a Vitória. Vamos para o Uruguai apresentar a menina para Punta Del Este. Serão mais de 8 horas de viagem de carro. Vamos ver como ela se comportará!!!
Para cruzar a fronteira a Vitória teve que fazer carteira de identidade. Fomos lá no “Tudo Fácil” e a Vitória tirou foto e deixou as digitais.
Além disso, o humor dela melhorou bastante. Dificilmente ela tem aqueles ataques de choro das noites primeiras. Ao contrário, muitas são as risadas, gargalhadas mesmos e gritos, muitos gritos.
O bico que ela detestava, agora é companheiro obrigatório e ajuda bastante principalmente nas horas do sono, pois ela continua brigando um tanto pra dormir.
Também nos últimos dias, passamos a colocar a Vitória num balde pra tomar banho. Em verdade, a idéia nasceu da necessidade do banho com o permanganato de potássio, mas a Vitória gostou tanto que agora estamos colocando ela pra brincar no balde.
Por fim, e talvez a mais importante, a Vitória foi desmamada. Agora já não mama mais no peito.
Foram 6 meses e que passaram rápido, até rápido demais.

domingo, 13 de setembro de 2009

LOTAÇÃO

Faz praticamente 10 anos que trabalho no centro de Porto Alegre e durante praticamente todo esse tempo fui de carro para o trabalho.
Depois que a Vitória nasceu, como a Laura tinha vendido o carro dela, passei a ir de lotação para o centro para deixar o carro para eventuais emergências e necessidades da minha família.
No começo me irritava a demora de quase 40 minutos de casa até a parada final. Depois, fui me acostumando e hoje até gosto da demora no percurso.
Dirigindo, você praticamente não tem condições de realmente ver a cidade, as pessoas. Você passa mil vezes pela mesma rua e não conhece nada do que tem ali; não repara na correria das pessoas...
Aproveito que meu celular tem rádio, coloco numa estação e vou olhando pela janela ao longo de todo o percurso.
E numa dessas andanças é que comecei a perceber, principalmente, as meninas, a notar o que elas faziam com quem andavam, as roupas e gestos.
E foi aí que me preocupei!!!
Percebi que daqui a pouco, a Vitória é que vai ser uma dessas meninas. E o que será que ela vai ser? Como vai ser?
Por mais que os pais possam moldar seus filhos, não tem como a gente ter certeza de como eles vão crescer.
Fiquei imaginando a Vitória uma hippie, punk ou rajinishi.
Fiquei imaginando a Vitória chegando em casa com um magrão com as calças de cós baixo, aparecendo as cuecas.
Fico pensando o que seria possível fazer, mas ainda não encontrei nenhuma resposta.
Acho que vou parar de ir trabalhar de lotação!